Saiba como a equoterapia pode ajudar crianças com a Síndrome de Williams-Beuren

Você sabe quais são os princípios e os fundamentos da equoterapia?
27 de abril de 2018
Você sabe o que é hipotonia?
30 de julho de 2018

Saiba como a equoterapia pode ajudar crianças com a Síndrome de Williams-Beuren

A Síndrome de Williams é uma desordem genética do cromossomo 7 causada pela ausência de cerca de 21 genes desse cromossomo, podendo levar a problemas cardiovasculares e renais, bem como ao desenvolvimento irregular do cérebro. Ganhou esse nome devido aos médicos que primeiro a descreveram, o neozelandês J.C.P. Williams e o alemão A. J. Beuren. Sua taxa de incidência é de aproximadamente uma a cada 10 mil pessoas no mundo.

As pessoas que são diagnosticadas com a Síndrome de Williams-Beuren costumam ter problemas de coordenação e equilíbrio, apresentando um atraso psicomotor e desenvolvimento mais lento. Os principais sintomas da síndrome são baixo peso ao nascer, dificuldade na alimentação durante a infância, irritabilidade, hipotonia (baixo tônus muscular), problemas cardiovasculares, personalidade sociável e dócil, baixa estatura, sensibilidade a sons, problemas dentários, déficit de atenção e traços faciais característicos (nariz achatado, estrabismo, lábios grossos etc.).

Não existe cura para a Síndrome de Williams-Beuren, entretanto, alguns métodos terapêuticos visam o controle dos sintomas, como hipertensão arterial, otite e outros problemas cardiovasculares e renais. Terapias que desenvolvem a fala e o corpo também podem ajudar os pacientes a lidar com a deficiência cognitiva e a rigidez muscular, por exemplo.

A profissional Ana Carolina Matos, do Instituto Andaluz, explica que pacientes com Síndrome de Williams podem ser beneficiados com a equoterapia porque a terapia trabalha justamente com o ganho de equilíbrio, coordenação motora, controle de tronco e cabeça, adequação do tônus muscular, além do trabalho de sociabilização e afeto com o animal e outras pessoas que não sejam do somente do âmbito familiar para que possa interagir mais facilmente, apesar de todo o déficit cognitivo.

Conhece alguém que tem a Síndrome de Williams e quer saber mais sobre como a equoterapia pode ajudar? Entre em contato conosco pelo telefone (41) 3027-1666 ou envie um e-mail para andaluz@institutoandaluz.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *